Clínica de Recuperação

Conheça a funda o alcoolismo e sua origem na vida das pessoas…

Hoje vamos continuar com o tema das síndromes do transtorno por uso de álcool. O álcool é tão velho quanto a humanidade, e este tipo de substância tem sido utilizado desde os primórdios da humanidade, mas de acordo com dados muito mais recentes da OMS dos séculos passados, ela recebeu uma proporção epidêmica.

Em 2018, mais de 3 milhões de pessoas morreram de abuso de álcool, ou seja, uma em cada 20 mortes foi devido ao consumo excessivo desse tipo de substância, e 3/4 dessas vítimas são homens, então devemos ter cuidado com aqueles que gostam de mostrar aos amigos que bebem mais do que os outros de qualquer forma!

Quando falamos desta questão de tolerância, ela é algo completamente subjetivo de pessoa para pessoa, portanto é muito subjetiva e é vista muito mais de um potencial qualitativo do que de um problema quantitativo.

Quando o álcool se torna algo que causa dependência, ele causará enormes perdas. Isto se aplica à nossa saúde mental, assim como à nossa saúde física, familiar e até mesmo profissional. Mas então o que é a síndrome de dependência do álcool? Podemos, portanto, classificá-lo como um estado físico e mental devido ao uso repetido deste tipo de substância, incluindo compulsões, mesmo que ocorra uma perda de controle periódica ou constante.

E isto também é muito complicado, pois para receber a ajuda necessária, é importante que a pessoa saiba o que está acontecendo com ela para que possa buscar ajuda psicológica ou farmacológica ou mesmo um grupo de apoio. Uma vez analisados estes aspectos, percebemos que esta pessoa perderá a liberdade de escolher entre beber e não beber, porque já sabemos que não haverá controle em vista desta escolha. Como podemos diagnosticar para concluir esta questão se uma pessoa realmente sofre ou não da síndrome do vício do álcool?

É por isso que é necessário entrar em contato com uma clínica de tratamento para alcoolismo, para que juntos possamos tratar seus vícios e delírios. Em nossa clínica de reabilitação de álcool contamos com Internação compulsória e também com internação voluntária, onde você encontrará uma nova vida e sairá com uma nova visão e uma nova atitude em relação à vida! Temos profissionais altamente qualificados e estamos disponíveis 24 horas por dia, especialmente para você!

Clínica de Recuperação

Desintoxicação de cocaína: saiba como o corpo reage quando está livre da droga

O processo de tratamento para dependência química não é fácil. Se o reconhecimento de um vício já exige muito trabalho, o diagnóstico e tratamento corretos também exigem paciência e perseverança para se obter um resultado efetivo.
O fácil acesso às drogas é um fator complicador para liberar uma pessoa de seu vício. De acordo com a Pesquisa Mundial sobre Drogas (WDS), comprar cocaína no Brasil simplesmente não é mais barato que na Colômbia. Dados do relatório de 2017 indicam que um grama de cocaína custa 32 reais (9,4 euros) no Brasil. No país vizinho, custa 13 reais (‘3,5). Segundo o estudo, o Brasil é também o país onde a maioria das pessoas utiliza os serviços de emergência para o consumo de cocaína.
Abaixo, entenderemos como o corpo de um drogado reage à substância e como funciona o processo em uma Clínica de Recuperação. Discutiremos também algumas medidas de acompanhamento que evitam recaídas e garantem que a pessoa que se recuperou do vício tenha uma vida plena.

Como funciona a cocaína no corpo?
A cocaína é uma droga recreativa que atua sobre o sistema nervoso de um indivíduo. Pode ser cheirado ou injetado. Esta substância é classificada como um estimulante porque aumenta o nível de atividade do corpo, reduz a fadiga e ativa os sentidos, promovendo assim o chamado estado de vigília.

Estes efeitos iniciais ocorrem em segundos após o contato do composto com o corpo. Eles geralmente duram entre 30 e 40 minutos. Em um segundo momento, após seu consumo, a cocaína desencadeia sentimentos de depressão, tensão e o desejo de consumir mais da droga.
A cocaína causa pequenas lesões no cérebro de quem a utiliza. Portanto, a médio e longo prazo, efeitos neurológicos mais intensos tendem a ocorrer e alguns danos podem ser irreversíveis. Estes podem ser: cognitivos: perda de memória, perda de habilidade analítica, dificuldade de concentração; físicos: dores de cabeça, dificuldade em respirar, desnutrição, destruição do septo nasal.

O uso repetido de cocaína torna o corpo mais resistente a esta substância. Como os efeitos a curto prazo duram menos, o viciado começa a usar cada vez mais drogas para prolongar essas sensações. Lembre-se que o uso deste composto em grandes quantidades pode levar a uma overdose e até mesmo à morte da pessoa que depende do produto químico.
Nestes casos, a cocaína pode causar arritmia cardíaca, ataque cardíaco, trombose, derrame e insuficiência cardíaca e renal.

Resultados da desintoxicação
O Tratamento com internação voluntária do corpo de um viciado químico não é fácil. A restrição do uso da droga não é recomendada e, em casos mais graves, pode até representar um risco para a saúde da pessoa. Portanto, durante esta fase, a ingestão desta substância deve ser feita em doses gradualmente mais baixas até que a desintoxicação completa seja alcançada.
Este processo pode causar alguns efeitos colaterais, tais como o aparecimento de sintomas que antes eram mascarados ao tomar a substância. Neste sentido, a depressão e outros distúrbios mentais podem afetar uma pessoa em tratamento.
Portanto, pode ser necessária medicação para combatê-los. Não é raro que o Tratamento com internação involuntária de um viciado em cocaína exija a hospitalização. Isto porque a desintoxicação requer o apoio de uma equipe multidisciplinar (composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais) e uma infra-estrutura apropriada.
O sucesso do Tratamento para alcoolismo ou tratamento para dependentes químicos depende da resposta do corpo do paciente à desintoxicação. Isto pode levar meses ou mesmo vários anos, dependendo se o paciente está ou não preparado para ficar longe do uso de drogas.
Portanto, o passo mais importante para ajudar uma pessoa dependente quimicamente é fazê-la reconhecer seu vício e entender que precisa de tratamento adequado. Isto é importante para evitar recaídas após a desintoxicação.

O segundo passo, tão importante quanto o primeiro, é buscar ajuda médica especializada. Cada organismo reagirá de forma diferente ao tratamento. Portanto, o diagnóstico correto do paciente permitirá um tratamento mais eficaz.

Além desses esforços, é necessário criar um ambiente no qual o viciado se sinta seguro e confiante. O diálogo é essencial para torná-lo consciente de sua situação e para assegurar a continuidade do tratamento.

Clínica de Recuperação

Cresce a cada dia o número de dependentes químicos.

Segundo a Unifesp, novos dependentes químicos levam em média 8,8 anos para que seus familiares comecem a desconfiar do vício de entorpecentes através dos sintomas avançados do consumo das drogas e também do álcool ou por outros motivos. Entre os anos de 2012 e 2013 a Unifesp realizou o estudo Levantamento Nacional de Famílias dos Dependentes Químicos (Lenad Família) com as famílias de pacientes que estavam em clínica de Recuperação.
Os dados apresentados chamam atenção, pois mostra que o usuário de drogas pode esconder por muito tempo da família o seu problema e os efeitos iniciais da dependência química. Entender a dependência do uso de maconha, cocaína, crack, álcool ou outros entorpecentes não está relacionado diretamente com a classe social ou fatores econômicos somente, o comportamento dos usuários de drogas deve apresentar sinais do vício que podem ser descobertos no menor tempo possível. Aumentar as chances de uma boa reabilitação da dependência química ou do álcool faz a diferença na família do potencial paciente. Descobrir o vício das drogas em algum familiar ou parente antes do período médio, apontado pelo estudo da Unifesp é capaz produzir uma desintoxicação para drogados e alcoólicos, com mais chances de alcançar resultados reais.
Uma pesquisa feito por Singh J. apresenta sinais no corpo e no comportamento da pessoa que está viciada nas drogas ou no álcool. Nessa pesquisa, publicada em 2017, é possível conhecer fatores importantes que podem fazer as famílias ganharem tempo e ter mais chances de recuperação através do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do SUS ou mesmo uma clínica com Tratamento para dependência química realizados com profissionais capacitados para atender a diferentes tipos de pacientes com variadas necessidades.
Segundo o estudo publicado por Singh J. e Gupta P., a dificuldade de manter os movimentos do corpo de forma coordenada, um movimento rápido e por alguns momentos fora de controle nos olhos da pessoa que é usuária de drogas, mudanças bruscas no peso, mãos trêmulas, conversas com a fala com timbre e volume alterado, baixa sensibilidade as dores, variação do tamanho das pupilas entre bem pequenas e muito grandes, problemas
que antes não existiam como pressão e alterações no batimento cardíaco são alguns dos principais sinais no corpo que um dependente químico apresenta.
Além disso, o estudo aponta que o início do uso de drogas até o vício também apresenta sintomas comportamentais como, queda acentuada do tempo em que as pessoas viciadas em drogas ou álcool se relacionam com os próprios familiares, repetidas demonstrações e atitudes relacionadas a inquietação a ponto de ocasionar brigas, necessidade de obter dinheiro constantemente e perda de produtividade na escola, faculdade, trabalho ou em atividades no lar. Especialistas têm alertado sobre a importância das famílias descobrirem um parente ou amigo que precisa de ajuda. Após descoberto, e com o acompanhamento profissional correto essa pessoa pode recuperar sua saúde. Um centro de tratamento de confiança para dependência em álcool e drogas serve para dar apoio ao usuário de
entorpecentes e aos próprios familiares. 8,8 anos em média, segundo o estudo da Unifesp entre junho de 2012 e julho de 2013, é o
tempo atual onde uma família descobre que uma pessoa próxima está com problemas com o uso das drogas, sabendo dos sinais que podem ser apresentar dentro de casa é possível conseguir Tratamento para alcoolismo em uma clínica de desintoxicação para drogados e alcoólicos. É possível buscar apoio e tratamento ao uso das drogas de maneira humana e com a abordagem correta para o potencial paciente, informa a Sonshine Ágape, clínica de Tratamento voluntário para dependentes químicos especializada. Segundo o exemplo de centro de Tratamento involuntário pode-se iniciar o acompanhamento através de um pedido de internação voluntária ou até mesmo uma internação involuntária de dependente químico. O procedimento para receber o paciente e a família é adequado e funciona através da abordagem feita na conversa e no convencimento de que a pessoa precisa de ajuda.
Conhecer os sinais apresentados por pessoas viciadas em drogas ou álcool pode reduzir o tempo de iniciar o tratamento adequado, seja para drogas como a maconha, o crack, a cocaína e bebidas com álcool. A recolocação da pessoa na sociedade é capaz dar uma nova oportunidade de vida a quem antes precisava de ajuda. Quanto menos tempo levar
para descobrir mais rápido a pessoa pode estar recuperada do uso das drogas e do álcool.

Clínica de Recuperação

Você conhece os estragos causados pelo uso de drogas?

Há três aspectos a considerar quando se fala sobre o uso de drogas. Primeiro, temos as pessoas; segundo, temos as drogas; e terceiro, temos o meio ambiente. A interação entre estes três fatores é o que chamamos de problema da droga.

Como cristãos, é claro, devemos sempre colocar a pessoa em primeiro lugar. O ser humano é a parte mais importante do sistema e deve ter prioridade. A Igreja é uma especialista em humanidade.

O povo

Deus nos criou como seres únicos, especiais e insubstituíveis. Entre as mais de seis bilhões de pessoas no planeta Terra, não há duas que sejam, tenham sido e venham a ser idênticas.

Recebemos presentes especiais que nos tornam diferentes de outros animais. São presentes que nos identificam como seres humanos. Entre estes dons estão: autoconsciência (a capacidade de agir como observador do próprio caminho); imaginação (a capacidade de criar imagens na mente que transcendem a realidade); moralidade (uma profunda consciência do que é certo e errado); livre escolha (a capacidade de agir de acordo com a própria consciência, livre de influências).

Mas há muito mais! Como se tudo isso não fosse suficiente, acreditamos que Deus nos deu talentos e nos ajuda com Sua graça para que possamos usar esses dons especiais que nos tornam humanos. Tudo o que precisamos é de força de vontade e disciplina para manter nossas vidas no caminho certo.

E como podemos esquecer que Deus, através de Seu Filho, nos revelou o caminho, a verdade e a vida (João 14:6), e que Ele veio para que todos possam ter vida em abundância? (João 10:10)

Estamos conscientes destas maravilhas que Deus fez por nós, porque é precisamente nelas que as drogas, incluindo o álcool e os cigarros, funcionam.

O drogado se torna um viciado em drogas, ou seja, ele precisa de um bastão, apoio para seguir adiante. Em outras palavras, ele se torna um louco.

O viciado perde autoconsciência, imaginação, moralidade, liberdade de escolha e humor, em outras palavras, ele perde sua racionalidade. Ele se torna um animal.

Drogas

Quando falamos de drogas, nos referimos a substâncias ou produtos de origem natural ou laboratorial que produzem mudanças na percepção, no humor e na sensação, mesmo que temporariamente. São sentimentos de prazer, euforia ou alívio de medo, dor, frustração, ansiedade. Algum tempo após seu uso, eles provocam sintomas muito desagradáveis. Com uso constante, elas são viciantes. Torna-se cada vez mais difícil ficar sem uso. O usuário se torna um escravo da droga.

As drogas incluem: álcool, tabaco, inalantes, várias drogas (tranquilizantes, estimulantes, supressores de apetite) e drogas tóxicas (maconha, cocaína, crack, heroína, ecstasy, lsd).

No Brasil, as drogas mais usadas são: álcool, cigarros, inalantes, maconha, medicamentos, cocaína e seus derivados: crack e blackbird.

O álcool ainda é a droga responsável por cerca de 75% dos acidentes rodoviários, 90% das hospitalizações por dependência química e, apesar disso, seu uso ainda é socialmente aceito, embora existam leis que proíbem seu uso por menores e motoristas de veículos.

A grande maioria da violência doméstica e das mortes violentas é o resultado do consumo de álcool.

O uso de cigarros está começando a ser restringido pelo governo e, gradualmente, pela sociedade. Já existem ambientes onde o fumo é proibido, a publicidade de cigarros é limitada e o consumo está começando a diminuir em todo o país. Entretanto, muitos círculos ainda estão relutantes em conduzir campanhas antitabagismo.

Solventes ou inalantes são usados mais intensamente por crianças em risco social, vivendo na rua, longe de suas famílias, e são considerados uma porta de entrada para as drogas ilícitas.

A maconha, cannabis sativa, tem sido objeto de uma intensa campanha para convencer as pessoas de sua toxicidade reduzida e até mesmo a liberação de seu uso, comércio e produção. Como resultado, muitos adolescentes, jovens e menos esclarecidos, experimentaram seu uso na crença de que não há nada de errado com ele. Isto tem levado a sérios problemas de saúde pública e sociais.

Tranquilizantes, sedativos ou supressores de apetite são amplamente utilizados, particularmente por idosos, mulheres e motoristas de caminhão, geralmente sem receita médica.

Clínica de Recuperação

Entenda o que são drogas e por que essas substâncias podem ser muito perigosas.

Você deve ter ouvido em algum lugar que o uso de drogas é um ato perigoso que põe em perigo sua saúde. O que são drogas? As drogas são apenas ilegais? Lidaremos com eles mais tarde e descobriremos por que devemos evitá-los.

As drogas podem ser definidas como substâncias que alteram certas funções normais em nossos corpos. Embora muitas pessoas afirmem que apenas produtos ilegais como maconha e cocaína são drogas, elas não o são. Cigarros e bebidas alcoólicas também são considerados drogas porque afetam nosso sistema nervoso. As drogas também podem ser chamadas de drogas.

Cada droga tem um efeito diferente em nosso corpo, algumas podem ajudar, mas outras podem causar novos problemas. A grande maioria das drogas, mesmo algumas, pode causar um problema chamado vício.

O vício é um problema sério porque uma pessoa não pode viver muito tempo sem uma determinada droga. A necessidade de usar a substância pode tornar o viciado agressivo e não se preocupar em usar o produto. Tem havido relatos de pessoas que chegaram ao ponto de matar e roubar para comprar uma droga cobiçada.

As drogas ilegais são chamadas ilegais, e as drogas que podem ser colocadas no mercado são chamadas drogas legais. Os primeiros são freqüentemente responsáveis por problemas mais graves e, portanto, não são vendidos livremente em diferentes países.

As drogas ilegais freqüentemente influenciam o julgamento do consumidor e podem causar sérios problemas psicológicos e emocionais. Embora inicialmente causem euforia e felicidade, muitas pessoas relatam depressão, ansiedade, confusão e pânico depois de tomá-los.

Além dos efeitos mencionados acima, o fumo de drogas, como cigarros e maconha, pode causar câncer de pulmão e problemas respiratórios. A cocaína, por exemplo, está associada a problemas tais como convulsões e insuficiência cardíaca. O uso desta substância muitas vezes leva à morte de muitas pessoas.

Os jovens fazem experiências com drogas ilegais, álcool e cigarros, geralmente sob pressão de amigos. Às vezes isso se torna uma condição para pertencer a um determinado grupo, forçando muitos a ceder à pressão. É importante que todos, especialmente crianças e jovens, saibam que a decisão de não usar drogas não torna você menos legal ou divertido, mas faz de você uma pessoa com uma opinião e uma preocupação com sua saúde – então não ceda à pressão dos colegas!

O uso de drogas também é comum entre as pessoas que estão deprimidas e passam por um período de insatisfação com suas vidas. Embora isto possa parecer uma solução, é importante salientar que o problema ainda existe após a droga ter parado de funcionar e precisa ser resolvido.

Clínica de Recuperação

Conheça os efeitos da bebida alcoólica no corpo

Muitas pessoas acreditam que beber álcool de vez em quando não é prejudicial à saúde. O que muitas pessoas não sabem são os efeitos que o consumo excessivo pode causar a curto ou longo prazo.

Segundo Carolina Pimentel, gastroenterologista do hospital estadual de transplantes de São Paulo, quanto mais etanol houver no corpo, melhor será o funcionamento do fígado, pois o órgão é responsável pelo metabolismo do organismo. “Outras funções estão comprometidas porque o fígado se desvia dessa urgência e danifica o metabolismo”, explica ela.

Outro fator importante causado pelo álcool é a sobrecarga dos rins. O etanol inibe a função do hormônio diurético, que faz com que o organismo não perca muita água, fazendo com que os rins parem de concentrar sua urina, fazendo com que eles percam mais água do que o normal. “Como o corpo faz grandes esforços para expandir a substância quando bebe, ela deve ser diluída em água e excretada na forma de urina, o que leva à desidratação”, diz ele.

Se uma mulher bebe mais de 20 gramas de etanol por dia por mais de 10 anos, ela corre o risco de desenvolver cirrose hepática. Nos homens, a quantidade consumida pode chegar a 60 gramas por dia”, explica ela.

Mas o médico adverte: “Todo corpo reage de certa forma, tudo depende de como é consumido, do tipo de bebida, da freqüência e do sexo da pessoa. O álcool também acelera o metabolismo, aumenta a pressão arterial, o que faz a pessoa suar mais e faz com que ela perca minerais.

Nosso corpo tem uma barreira que separa as toxinas para que elas não possam alcançar o cérebro. Entretanto, o etanol é capaz de superar esta barreira no córtex cerebral, responsável pelo nosso movimento, e atinge o cerebelo, a parte que regula o equilíbrio, aumentando a capacidade de coordenar e desacelerar certas funções.

Se você enganar aqueles que pensam que não estão mostrando os efeitos do álcool, você não tem nenhum problema. “A pessoa que não se embebeda não tem esses efeitos, mas eles ocorrem no corpo. Este é o perigo do álcool, pensando que a pessoa está bem sem sintomas. Os sintomas de consumo crônico podem durar muito tempo e, quando ocorrem, já podem ser um sinal de doença avançada”, explica Pimentel.

O médico diz que é importante beber com moderação, estar sempre bem hidratado, evitar a exposição ao calor e comer bem, pois o jejum aumenta os sintomas da bebida.
Além da cirrose hepática, o álcool pode causar doenças do sistema nervoso, demência, problemas cardíacos como cirrose, câncer pancreático, alterações no intestino, resíduos musculares, falta de apetite e desnutrição.

Qualquer pessoa que beba grandes quantidades, diariamente ou não, deve falar com seu médico para fazer exames e examinar os sinais de comportamento hepático causados pela bebida.

“Em última análise, beber grandes quantidades pode ser tão prejudicial quanto o consumo diário. Os alcoólatras não são apenas aqueles que bebem todos os dias”, conclui ele.

Clínica de Recuperação

Tipos, efeitos e consequências das drogas para Saúde

O uso da maioria das drogas causa, a princípio, efeitos muito positivos, tais como uma sensação de bem-estar, felicidade e coragem. Entretanto, seus efeitos a longo prazo podem ser muito sérios, especialmente se utilizados por um longo período de tempo.

O uso de drogas pode causar sérias mudanças no funcionamento do coração, do fígado, dos pulmões e até mesmo do cérebro, sendo muito prejudicial à saúde.

Além disso, a maioria das drogas causam habituação e, portanto, o corpo precisa de uma dose crescente para alcançar os mesmos resultados positivos, o que aumenta muito o risco de morte por overdose. Veja quais sintomas podem indicar uma situação de overdose.

Marijuana
Principais tipos de drogas

Existem drogas legais e drogas ilegais. As drogas legais são aquelas que podem ser comercializadas como cigarros e bebidas alcoólicas. As drogas ilegais são aquelas proibidas de serem vendidas, como maconha, crack, cocaína, ecstasy.

Os principais tipos de drogas são:

Drogas naturais: como a maconha feita a partir da planta cannabis sativa e o ópio feito a partir de flores de papoula;
Drogas sintéticas: produzidas artificialmente em laboratórios, como o ecstasy e o LSD;
Drogas semi-sintéticas – como heroína, cocaína e crack, por exemplo.

Além disso, as drogas ainda podem ser classificadas como depressores, estimulantes ou perturbadores do sistema nervoso.

Independentemente do tipo de droga, o mais importante é tentar parar de usá-la. Por esta razão, existem diferentes tipos de programas, com vários meses de idade, que tentam ajudar a pessoa a resistir à vontade de usar a droga. Entenda como fazer o tratamento para parar de usar a droga.

Efeitos das drogas

Os efeitos das drogas são sentidos em minutos, imediatamente após o uso, mas tendem a durar apenas alguns minutos, portanto é necessária uma nova dose para prolongar seu efeito sobre o organismo. Portanto, é muito comum que uma pessoa se torne rapidamente dependente.

Os efeitos que ocorrem imediatamente após o uso de qualquer droga ilícita são os seguintes

1. Efeitos imediatos das drogas depressivas.

Drogas deprimentes, como a heroína, têm efeitos sobre o corpo como a heroína:

Menos capacidade de raciocinar e de concentração
Exagerada sensação de calma e tranqüilidade
Relaxamento e bem-estar exagerados
Aumento da sonolência
Redução de reflexos
Aumento da resistência à dor
Mais difícil de fazer movimentos delicados
Diminuição da capacidade de dirigir
Diminuição da capacidade de aprender na escola e redução da rentabilidade no trabalho
2. 2. efeitos imediatos das drogas estimulantes

As drogas estimulantes, como a cocaína e o crack, fazem isso:

Euforia intensa e uma sensação de poder
estado entusiasmado
Muita atividade e energia
Diminuição do sono e perda do apetite
Você está falando muito rápido.
Aumento da pressão e do ritmo cardíaco
Capacidade de gerenciamento emocional
Perda do sentido da realidade

Heroína e cocaína
3. 3. efeitos imediatos de drogas perturbadoras

Drogas irritantes, também conhecidas como alucinógenos ou psicodislépticos, como a maconha, o LSD 25 e a causa do ecstasy:

alucinações, especialmente as visuais, como a alteração das cores, formas e contornos dos objetos,
Alteração do sentido do tempo e do espaço, com minutos que parecem horas ou metros que parecem milhas.
Sensação de grande prazer ou medo intenso
Facilidade de pânico e excitação
Conceito de tamanho exagerado
Delírios de roubo e perseguição.

Um dos exemplos mais recentes deste tipo de droga é o Flakka, também conhecido como a droga zumbi, que é uma droga de baixo custo produzida na China que causa comportamento agressivo e alucinações, e também há relatos de casos em que usuários desta droga iniciaram atividades canibalescas durante o período em que estavam sob sua influência.

Lesões causadas pelo uso de drogas
Efeitos da medicação sobre a gravidez

Os efeitos das drogas na gravidez são visíveis em mulheres e crianças e podem causar abortos espontâneos, nascimentos prematuros, restrição de crescimento, baixo peso ao nascer e malformações congênitas.

Após o nascimento do bebê, você pode ter uma crise de abstinência de drogas porque seu corpo já estará viciado em drogas. Neste caso, o bebê pode ter sintomas como chorar muito, ficar muito irritado e ter dificuldade para se alimentar, dormir e respirar, o que requer hospitalização.

Clínica de Recuperação

Existe limite seguro para o consumo de álcool?

Se você depende de um dos maiores estudos globais já realizados para medir o impacto do álcool sobre a saúde humana, até mesmo mensagens como “desfrutar com moderação” são completas. Após analisar o consumo e seu impacto sobre mais de 100.000 pessoas em 195 países entre 1990 e 2016, pesquisadores da Universidade de Washington, EUA, concluíram: Não há limite seguro para o consumo de álcool. E dão outro aviso: os mesmos benefícios, como o copo de vinho prescrito para o bem do coração, não compensam os danos, se aumentarem sem risco de câncer e outros males.

“Você sabe quem inventou esta história de bebida moderada que é boa para você? A indústria do álcool, baseada em estudos mal controlados”, diz o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, diretor da Unidade de Pesquisa de Álcool e Drogas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “A coisa mais saudável é não beber. Mas se você beber, o ideal não é passar um copo ou dois por semana”, diz ele. Entenda: beber algo todos os dias, mesmo que seja tão pequeno, está fora de questão, pelo menos se você quiser ser saudável.

Para seu médico, os cientistas americanos dividem ou publicam em dois grupos: os que bebem e os que se abstêm. Então eles percebem que nós propomos problemas (câncer, ataque cardíaco, derrame, cirrose, violência doméstica…) à medida que aumentamos a quantidade e a freqüência do consumo.

O risco de adoçar é aumentado em 0,5% entre aqueles que tomam uma única dose por dia (como uma lata de cerveja ou um copo de vinho). Aumentou para 7% antes de duas doses. E subiu para 37% em cinco.

“Mesmo que haja pesquisas com benefícios ou consumo leve ou moderado, isto não pode ser generalizado porque os efeitos do álcool também dependem do histórico e dos riscos médicos individuais”, explica o psiquiatra Arthur Guerra, presidente do Centro de Informação sobre Saúde e Álcool (Cisa). “Por esta razão, pensando em minimizar os riscos na população, uma recomendação mais segura é não beber.

O sono é afetado por bebidas alcoólicas
Se você é um daqueles que, antes de dormir, gosta de beber um copo de vinho para relaxar, esqueça: seu método pode realmente aumentar, mas prejudica a qualidade de seu sono. “Quando o álcool é processado pelo corpo, ou o sono se torna superficial. Então o indivíduo acordou pela manhã com a sensação de não dormir o suficiente”, explicou a neurologista Andrea Bacelar, presidente da Associação Brasileira do Sono.

Um estudo finlandês realizado com mais de 4.000 pessoas entre 18 e 65 anos de idade confirmou que a recuperação fisiológica durante o sono após a noite sofre uma redução significativa na presença de álcool – quanto mais se bebe, pior é.

Em Londres, Inglaterra, outra descoberta foi feita: uma bebida não regulamentada para ciclos naturais de sono e, mesmo com moderação, incentivos ao ronco e insônia. Idealmente, uma bebida deve ser tomada no jantar, isto acontece três horas antes de ir para a cama. E vejam só.

Clínica de Recuperação

5 famosos que se recuperaram dos vícios em drogas…

Considerado um transtorno mental, além de um problema social pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a dependência química é tida como doença crônica, que comumente atinge indivíduos que fazem o uso constante de determinadas drogas. O portador desse tipo de distúrbio acaba por não conseguir conter o vício, afetando sua vida psíquica, emocional, física e, consequentemente, a vida social. Mas existe sim uma saída, existe clínica de recuperação e reabilitação para dependentes químicos assim como todas essas pessoas sitadas abaixo, você também consegue se livrar do vício!

Robert Downey Jr

 

Entre 1996 e 2002, o ator foi internado várias vezes em clínicas para o tratamento da dependência química. Hoje, o Eterno Homem de Ferro se recuperou e diz: “Olhando para trás, eu percebo que o fato de ele estar completamente fora de controle pode ser uma prova da existência do divino. E isso sempre me comove.”

 

Britney Spears

 

Em 2007 a cantora divorciou-se, perdeu a custódia dos seus filhos e foi internada numa clínica de reabilitação para tratar o seu vício em drogas. Hoje ela está de boa saúde novamente e em uma nova turnê de sucesso.

Brad Pitt

 

A estrela já deu uma entrevista sobre o assunto: “Durante muito tempo pensei que as drogas me iriam magoar”. Passei anos a dá-lo a mim mesmo. Mas depois percebi que estava a perder a minha oportunidade. Foi uma mudança consciente. Isso foi há cerca de dez anos. Foi uma epifania, uma decisão de não desperdiçar a minha oportunidade. Foi um sentimento de estar de pé.

Fabio Assunção

 

O ator interrompeu as filmagens da novela “China Business” para se recuperar de seu vício em cocaína. Em 2009, ele quebrou o silêncio em uma entrevista com o Fantástico e disse: “Eu sei”. Apanhei uma estrada sem regressar. Não vou permitir que a minha vida seja como era antes”. Agora recuperado, ele será a estrela da próxima novela às 19h na TV Globo, criando um casal romântico com Marina Ruy Barbosa.

Lady Gaga 

 

Em 2013, Lady Gaga admitiu ao The Huffington Post que foi viciada em várias substâncias por períodos de sua vida, inclusive maconha, que ela afirma ter fumado de 15 a 20 baseados por dia. Ela decidiu parar ao perceber que isso estava comprometendo sua saúde e procurou ajuda médica.

Clínica de Recuperação

Fumar narguilé faz mal?

Sim, fumar narguilé é mau para a saúde. A ideia de que o bongo é mau porque se inspira vapor em vez de fumo não é real. Durante uma sessão de uma hora de narguilé, a quantidade de fumo inalada é igual à fumaça de 100-200 cigarros. Isto porque a pessoa fica exposta ao fumo do tabaco por muito mais tempo quando fuma narguilé, porque a duração de um cigarro é de vários minutos. Portanto, tal como os cigarros, o narguilé causa vários danos à saúde, uma vez que reduz a capacidade respiratória, aumenta o risco de cancro do pulmão, insuficiência respiratória aguda (nos casos mais graves), doença cardiovascular (ataque cardíaco, AVC), cancro da boca e da bexiga, e aumenta a dependência química. Tendo então que contatar uma clínica de reabilitação para dependentes químicos.

Outras doenças que o uso de narguilé, pode levar à saúde incluem o envelhecimento prematuro e a falta de ar durante o exercício.

“Ouvi dizer que o narguilé não é assim tão mau para a tua saúde. Isso é verdade?”
Uma das razões pelas quais o narguilé não é tão prejudicial para a saúde é que a água filtra parte da nicotina, o que reduz a concentração no fumo. No entanto, com menos nicotina, você acaba inalando mais fumaça, então o conteúdo de nicotina é capaz de extinguir o seu vício.

Por exemplo, fumar narguilé expõe o usuário a níveis mais elevados de carcinógenos e gases tóxicos, como o monóxido de carbono.

O carvão utilizado para queimar tabaco remove substâncias tóxicas como benzeno e alcatrão, o que aumenta a toxicidade do narguilé. Portanto, mesmo que sejam utilizadas outras folhas ou ervas em vez de tabaco, o narguilé continua a ser prejudicial para a saúde porque não deixa de produzir fumo e as suas toxinas.

“O narguilé é mais prejudicial que o cigarro?”
O narguilé tem muitas das toxinas dos cigarros, incluindo monóxido de carbono, hidrocarbonetos, nicotina e formaldeído, que podem causar bronquite e reduzir a capacidade respiratória após um ano de uso.

Além disso, o tabaco de narguilé tem uma concentração muito maior de nicotina, monóxido de carbono e alcatrão do que os cigarros.

Os danos causados pelo narguilé podem ser ainda maiores, pois o fumo do narguilé respira as toxinas do tabaco e do carvão, que estão associadas ao desenvolvimento do cancro do pulmão e de outras doenças.

Além dos danos causados pelo fumo narguilé, aumenta o risco de transmissão de doenças como herpes, hepatite, tuberculose e outras doenças infecciosas transmitidas pelo contacto com a secreção de uma pessoa infectada.

“Os narguilé eletronicos fazem mal?”
Há raras provas científicas dos efeitos nocivos dos narguilé eletronicos. Quando não há nicotina, o risco de vício pode ser reduzido.

Também não há queima de tabaco, que é um dos principais fatores nocivos do fumo, devido à alta temperatura do fumo e às toxinas que este contém.

No entanto, é necessário ter certeza de quais substâncias são inaladas no narguilé eletrônico. Muitos estudos recentes têm demonstrado os efeitos nocivos dos cigarros eletrônicos, pois estes cigarros podem causar outros danos ao organismo além do risco de fumar.

“O que é narguilé?”
O narguilé, também chamado de narguilé, é um aparelho usado para fumar tabaco. Nele o tabaco é queimado, o fumo produzido é arrefecido pela água e depois inalado pela pessoa através de um tubo.

O narguilé pode parecer inofensivo, mas, tal como os cigarros, é viciante e o seu uso a longo prazo aumenta o risco de cancro do pulmão, da boca e da bexiga, bem como de doenças cardiovasculares e respiratórias, e também até a dependência química.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 6.000.000 de pessoas em todo o mundo morrem todos os anos devido ao tabagismo. No Brasil, 75% das pessoas que fumam começam a fumar antes de completarem 18 anos.

Quanto mais pessoas começarem a fumar narguilé ou cigarros, maior o risco de desenvolver cancro e outras doenças crónicas e fatais.

O gosto doce e saboroso do narguilé, além do cheiro e sabor doce do fumo, ajuda a explicar por que o narguilé é tão consumido por jovens e adolescentes. Estas são pessoas que quase nunca fumam ou não fumam cigarros, mas devido a estes factores “favoráveis” acabam por fumar narguilé.

Já se sabe que os adolescentes que fumam são mais propensos a se tornarem adultos fumantes. O uso precoce do narguilé pode ser o primeiro passo para começar a fumar e outras drogas. Quanto mais cedo uma pessoa começar a fumar, maior a chance de desenvolver câncer e outras doenças crônicas, bem como a morte prematura.

Navegação por posts