Clínica de Recuperação

O processo de tratamento para dependência química não é fácil. Se o reconhecimento de um vício já exige muito trabalho, o diagnóstico e tratamento corretos também exigem paciência e perseverança para se obter um resultado efetivo.
O fácil acesso às drogas é um fator complicador para liberar uma pessoa de seu vício. De acordo com a Pesquisa Mundial sobre Drogas (WDS), comprar cocaína no Brasil simplesmente não é mais barato que na Colômbia. Dados do relatório de 2017 indicam que um grama de cocaína custa 32 reais (9,4 euros) no Brasil. No país vizinho, custa 13 reais (‘3,5). Segundo o estudo, o Brasil é também o país onde a maioria das pessoas utiliza os serviços de emergência para o consumo de cocaína.
Abaixo, entenderemos como o corpo de um drogado reage à substância e como funciona o processo em uma Clínica de Recuperação. Discutiremos também algumas medidas de acompanhamento que evitam recaídas e garantem que a pessoa que se recuperou do vício tenha uma vida plena.

Como funciona a cocaína no corpo?
A cocaína é uma droga recreativa que atua sobre o sistema nervoso de um indivíduo. Pode ser cheirado ou injetado. Esta substância é classificada como um estimulante porque aumenta o nível de atividade do corpo, reduz a fadiga e ativa os sentidos, promovendo assim o chamado estado de vigília.

Estes efeitos iniciais ocorrem em segundos após o contato do composto com o corpo. Eles geralmente duram entre 30 e 40 minutos. Em um segundo momento, após seu consumo, a cocaína desencadeia sentimentos de depressão, tensão e o desejo de consumir mais da droga.
A cocaína causa pequenas lesões no cérebro de quem a utiliza. Portanto, a médio e longo prazo, efeitos neurológicos mais intensos tendem a ocorrer e alguns danos podem ser irreversíveis. Estes podem ser: cognitivos: perda de memória, perda de habilidade analítica, dificuldade de concentração; físicos: dores de cabeça, dificuldade em respirar, desnutrição, destruição do septo nasal.

O uso repetido de cocaína torna o corpo mais resistente a esta substância. Como os efeitos a curto prazo duram menos, o viciado começa a usar cada vez mais drogas para prolongar essas sensações. Lembre-se que o uso deste composto em grandes quantidades pode levar a uma overdose e até mesmo à morte da pessoa que depende do produto químico.
Nestes casos, a cocaína pode causar arritmia cardíaca, ataque cardíaco, trombose, derrame e insuficiência cardíaca e renal.

Resultados da desintoxicação
O Tratamento com internação voluntária do corpo de um viciado químico não é fácil. A restrição do uso da droga não é recomendada e, em casos mais graves, pode até representar um risco para a saúde da pessoa. Portanto, durante esta fase, a ingestão desta substância deve ser feita em doses gradualmente mais baixas até que a desintoxicação completa seja alcançada.
Este processo pode causar alguns efeitos colaterais, tais como o aparecimento de sintomas que antes eram mascarados ao tomar a substância. Neste sentido, a depressão e outros distúrbios mentais podem afetar uma pessoa em tratamento.
Portanto, pode ser necessária medicação para combatê-los. Não é raro que o Tratamento com internação involuntária de um viciado em cocaína exija a hospitalização. Isto porque a desintoxicação requer o apoio de uma equipe multidisciplinar (composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais) e uma infra-estrutura apropriada.
O sucesso do Tratamento para alcoolismo ou tratamento para dependentes químicos depende da resposta do corpo do paciente à desintoxicação. Isto pode levar meses ou mesmo vários anos, dependendo se o paciente está ou não preparado para ficar longe do uso de drogas.
Portanto, o passo mais importante para ajudar uma pessoa dependente quimicamente é fazê-la reconhecer seu vício e entender que precisa de tratamento adequado. Isto é importante para evitar recaídas após a desintoxicação.

O segundo passo, tão importante quanto o primeiro, é buscar ajuda médica especializada. Cada organismo reagirá de forma diferente ao tratamento. Portanto, o diagnóstico correto do paciente permitirá um tratamento mais eficaz.

Além desses esforços, é necessário criar um ambiente no qual o viciado se sinta seguro e confiante. O diálogo é essencial para torná-lo consciente de sua situação e para assegurar a continuidade do tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *